Psicanálise de Conjuntura #13: Já Wein Tarde

Abraham Weintraub se foi e com ele a caricatura de um governo cujo objetivo é deslegitimar, minar e obstruir a todo custo um projeto de educação pública, inclusiva e gratuita de qualidade. Não que seu substituto vá tocar outro samba, mas sua queda é simbólica pois condensa elementos fundamentais do modus operandi bolsonarista: racismo, ignorância, truculência, desprezo institucional e submissão ao imperialismo.
Qual a importância estratégica da educação em um governo de extrema-direita? Quais os próximos passos do projeto de destruição da Universidade Pública no Brasil? Leia mais »

Psicanálise de Conjuntura #12: Pandemia e Democracia (com Yara Frateschi)

A pandemia mostrou que a fronteira entre bios, zoé e pólis é muito mais acidentada que se poderia supor. Quem vive, manda, morre e tem de fato o poder de escolha em nossas democracias? Afinal, em sua definição do que é povo está também quem é o povo? O povo pode ser aqueles que bradam a favor de um governo formado por castas militares, o povo são aqueles que depositam seu poder na mão e se deixa dirigir por fardas? Afinal que é o povo. Democracia é possível num regime representativo ou esse regime representativo é justamente aquilo que impede a efetivação democrática quando o que estabelece a representação não é somente fundo partidário mas vultuosos investimentos das classes abastadas? Isso é democracia ou governo dos poderosos? Leia mais »

Psicanálise de Conjuntura #11: Política da Rua (com Thomás de Barros)

Rua: no dicionário, via pública urbana, repleta de casas, prédios, muros. Na vida do trabalhador e da trabalhadora, a ameaça constante de que em algum momento sua força de trabalho não servirá mais. Essa estranha rua — da amargura de um fascismo e racismo explícitos, povoada novamente de corpos expostos à peste — é também aquela que guarda a chave da política atual. Ou não? Leia mais »

Psicanálise de Conjuntura #10: Genocídio e Revolta

George Floyd, um homem, João Pedro, um menino, o que ambos tem em comum? Um teve o pescoço esmagado pelo joelho policial, o outro, a criança, tomou um tiro de fuzil nas costas pela arma policial. Uma cor. Uma raça. Um mesmo lugar. O lugar da exclusão. O cidadão de terceira classe. O descartável Leia mais »

Psicanálise de Conjuntura #09: Ciência e Política

A ciência é uma conquista. Uma conquista não só do controle sobre fenômenos mas também no interesse pela verdade. A tecnização é evidente, sua burocratização, um projeto de poder

Mas, longe de encerrar os problemas suscita questões. Longe de dar o golpe final na Metafísica muitas vezes o objeto ciência torna-se ele mesmo metafísico Leia mais »

Psicanálise de Conjuntura #08: Anti-Intelectualismo

Há algo em comum entre o anticientificismo da extrema-direita e o anti-intelectualismo de certos setores da esquerda? Para debater esse tema quente, recebemos no programa da próxima segunda o grande Deivison “Nkosi” Faustino para trocar uma ideia com Pedro Ambra, Marília Moschkovich e Douglas Rodrigues Barros
A linguagem científica e filosófica foi afastada da vida comum, aliás como tudo aquilo valioso para a humanidade, por um projeto de poder. Tornar essa linguagem acessível ou tornar possível o acesso a própria linguagem? Essa última posição não se bate diretamente na necessidade de alterar as formas de reprodução da existência e democratizar radicalmente o acesso ao saber. Será que é isso que realmente queremos fazer? Ou continuarmos como pastores do conhecimento especializado e científico pressupondo a “ignorância” do Outro? Leia mais »

Psicanálise de Conjuntura #07: Mãe

Foram mães que tomaram os canhões durante a Comuna, foram mães que nas ruínas de Stalingrado mantiveram a esperança viva da vitória sobre o nazi-fascismo, foram mães que colocaram em xeque a credibilidade da ditadura latino-americana, são as mães sem lar para os seus filhos que reivindicam o direito à moradia, o direito à terra, à dignidade, foram as mães que mantiveram a força de Ganga Zumba no Quilombo. Leia mais »

Psicanálise de Conjuntura #06: Fascismo do Cotidiano

“E, daí?” Expressão que significa desdém, indiferença a algo, a algum acontecimento ou a alguém. “E, daí?” Capacidade de minimizar um fato, se insensibilizar ante uma tragédia, ignorar um problema. E, daí? Utilizada para afastar de si a responsabilidade pode ser também má fé diante de uma escolha mal feita. Se espera essa frase de alguém cujas responsabilidades são pequenas ou daquele que foge a elas.
Marcada pela indiferença a expressão “E, daí?” sempre é lançada quando se quer ficar livre de qualquer responsabilidade. Responsabilidade, porém, é justamente o que se espera de alguém que faz parte do maior cargo executivo de um país. O que significa, portanto, essa expressão na boca de um presidente? Leia mais »

Psicanálise de Conjuntura #05: E Agora, Jair?

Ao mesmo tempo, o contágio pelo novo coronavírus segue devastando os sistemas de saúde Brasil afora. No Estado de São Paulo, foco de contágio, o poder público já se prepara para a sobrecarga dos cemitérios e necrotérios. E onde você mora? As pessoas ainda estão pela rua? Como está o comércio? É justo pedir para um trabalhador que saia para trabalhar mas não saia para se divertir? “A morte é alegre no Brasil” disse outro dia o poeta Tomaz Amorim. Leia mais »

Psicanálise de Conjuntura #04: O Corpo e seus predicados

O que é um corpo? Qual a incidência da história, do desejo, do gênero, da raça e até do Corona nisso que chamamos, de baciada, de “Corpo”? Qual a negatividade inerente da corporeidade e o preço que pagamos pela separação cartesiana entre corpo e mente? O que significa gostar do seu corpo? Como e por que alguns corpos são mais matáveis, desejáveis ou pesquisáveis que outros? A ideia de propriedade do corpo é burguesa? Leia mais »

Psicanálise de Conjuntura #03: Os contágios da periferia

O que é a COVID-19 na quebrada? O que ela explicita das lógicas de funcionamento, controle de corpos, gestão racial e de afetos? Na última segunda estivemos ao vivo às 21h, na Rádio Sens, com Douglas Rodrigues Barros, Pedro Ambra e uma convidada Leia mais »

Psicanálise de Conjuntura #02: O Amor nos tempos do Corona

A nau segue desgovernada e nós argonautas seguimos na tentativa de desrumar o trajeto!

Na última segunda estivemos ao vivo às 21h, na rádio Sens! Desta vez foram os três pivôs, Douglas Rodrigues Barros, Pedro Ambra e Marília Moschkovich , sem convidados, que bateram um papo um pouco mais descontraído pra pensar o amor nos tempos do corona. Leia mais »

Psicanálise de Conjuntura #01: Crise X Pandemia

Douglas Barros, Marília Moschkovich e Pedro Ambra conversaram com:
– Henrique de Azeredo Mirenda (Médico de Família e Comunidade pela UERJ, atualmente atua como médico da estratégia de saúde da família no CMS Ernesto Zeferino, em São Cristóvão, Rio de Janeiro)
– Danielle Cristina Perini (Médica de Família e Comunidade pela UERJ, atualmente cursa a residência de administração em saúde no CMS Salles Neto, no Rio Comprido, Rio de Janeiro). Leia mais »