Libre #0 – Is all you need love? (piloto) – Português

Libre #0 – Is all you need love? (piloto) – Português

Libre é um podcast sobre relações não-monogâmicas, sexo, amor, formas não-tradicionais de relacionamento, poliamor e como tudo isso pode nos ajudar a combater a violência doméstica e outras violências de gênero. É um podcast feminista, com 8 episódios-base publicados quinzenalmente a partir de setembro de 2019. Neste primeiro episódio os ouvintes são apresentados à hostess e à proposta do podcast, em sua versão brasileira.

Faça download do EP aqui
Assine o feed aqui
Site oficial do Libre
Página com opções de agregadores
Facebook Libre


A hostess Marília Moschkovich, também conhecida como Marília Moscou (@MariliaMoscou) é socióloga, mestra e doutora pela Unicamp, e fellow da Fundação Alexander von Humboldt em Berlim. O podcast é parte de seu atual projeto de pesquisa e foi realizado em parceria com o festival de cinema Berlin Feminist Film Week. Desde 2014, após terminar um casamento abusivo, vive relações não-monogâmicas. Em 2019 tornou-se mãe e desde então divide o cuidado do bebê com um de seus companheiros – na esperança de em breve ampliar essa rede de cuidado e afetos o máximo possível. Além disso, é bissexual, militante do Partido Comunista Brasileiro (PCB) e sócia da editora feminista independente Linha a Linha.


Transcrição livre do episódio

Obs: A transcrição livre é feita automaticamente pelas ferramentas disponibilizadas pela da Rádio Sens. Neste caso não é feita correção, adequação e revisão do texto. 

bom dia boa tarde boa noite são paulo e todo mundo que resolveu conhecer esse podcast novo eu sou a marília sou e criadora do livre esse é o nosso primeiro episódio em setembro de dois mil e dizenovi diretamente hoje vocês vão conhecer um pouco sobre essa série de episódios de podcast um pouco sobre mim e com alguma esperança um pouco sobre vocês também nesse episódio eu vou introduzir as principais questões próximos sete episódios juntos nesses episódios nós vamos investigar o amor relações relacionamento sexo e outros aspectos da vida social que são ligados essas coisas controle porque não violência também não parece um pouco estranho juntar todas as coisas vem comigo e abra a sua meia interna esse é o livre unidas tive essa música dos beatles né mas será que tudo que a gente precisa demora o que a gente quer dizer quando a gente diz eu te amo por que quando a gente fala em amor chuva mas a gente se sentir especial mas ao mesmo tempo autoriza outras coisas ou até exigisse pras coisas da outra pessoa comé que a gente aprende tudo isso e porque que se importa essas são algumas questões que eu comecei a a colocar e algumas coisas que eu comecei a me perguntar em dois mil e catorze depois de terminar um casamento bastante abusivo eu já tinha estudado ae na gravação e também no mestrado então eu sabia que outra sociedade não entendiam essa coisa boa no mesmo jeito que a gente também sabia que a resposta a essas perguntas e até as próprias perguntas só fazem sentido no contexto histórico específico já que o amor como criança humana também é situado historicamente tô atropelando um pouco as coisas aqui é o meu ponto é eu tenho me perguntado essas questões e eu tenho procurado as respostas pra essas coisas já por um tempinho em dois mil e dezoito eu fui selecionada pra uma um programa de bolsa eh de formação sei lá não tem uma tradução exata né da fundação alexandre e a ideia era justamente compartilhar essas perguntas respostas com o mundo né como parte desse programa que se chama eu teria oportunidade finalmente de fazer um pouco de podcast sobre esse assunto valendo junto também com o festival de cinema que se chama berlim sabe que tá trabalhando comigo nesse projeto todo e além dos podcasts eu também teria oportunidade tô tendo a oportunidade de fazer curadoria de algumas sessões pra o festival de cinema que acontece no final de cada inverno aqui em berlim então atenção tão de dois mil e vinte da seu mãe volta dois mil e dezoito ano passado recebi a bolsa fiquei foi selecionado pela pra bolsa organizei minhas coisas eu ouvi meu apartamento em são paulo e mudei pra alemanha ah é tem esse pequeno detalhe duas semanas pegar o meu voo eu descobri que eu tava grávida grávida isso significou ficar um pouco mais na alemanha do que eu tinha previsto mas também eh uma experiência nova e aprender com essa experiência nova de ter um bebê num país diferente e numa relação não então essa é uma coisa que sempre acontece aparece as pessoas perguntam né como que fica com filhas numa relação poliamor não sei quê não dá certo e tal bom tô aqui e tô com filho tamo indo né tão parecia que a vida também queria me ajudar um pouco a explorar essas questões que eu tava me perguntando calma porque aquela na janela é o leste e pra julieta como um solo sobe formosa sol e a lua que sofre da anemia do ciúme pois tufa devota é mais formosa não estejam ao serviço da ciumenta que o hábito virtual é doença verde tira o já minha senhora ó meu grande amor ó que ela já não soubesse umas produções mais famosas da cultura ocidental a peça romeu julieta do shake é bastante interessante pra gente entender algumas construções que a gente tem sobre eu não sei se vocês conhecem mas basicamente a peça conta a história de uma moto proibido romeu julieta são adolescentes de famílias que vai eles apaixonam a peça ela cheia de sonetos sobre uma paixão brutal avassaladora e o sentimento de que eles vão tá com com outro assim o tempo inteiro nãO importa o que aconteça é exatamente isso que leva eles a uma tragédia fatal no final não seria é lógico né tão romântico que o romeu vice a julieta supostamente morta ali em vez de depender ele resolvesse sei lá viveu guto eh fazer um pouco de terapia né procurar outros relacionamentos depois que eu também só funciona como uma tragédia romântica porque nós compartilhamos a ideia de que só existe uma amor verdadeiro então se o seu uma amor verdadeiro morre não tem nada que você possa fazer se não morrer ou viver uma vida horrível e miserável infeliz porque também diz um pouco pra gente sobre outras concepções que a gente tem sobre o amor por exemplo que esse tipo de amor que a gente assistia com relacionamentos românticos e sexo e tal ele seria diferente amore totalmente necessário se você precisar se você é desculpa se quiser ser feliz dando de uma forma também não seria muito romântico né que ah o recado que o freio manda pro romeu chegasse no romeu de fato ele não tivesse bebido veneno e a julieta acordasse ele polícia em casar assim tem filhos e começar a se de repente brigar porque ela tava cuidando das crianças todo dia ele num acordo maluco é uma puta merda sabe o pior que ela de repente pra ir filha e terminar morta por ele tô noticiário internacional da tiveram no dia vinte e dois de novembro dois mil e dezoito na alemanha em dois mil e quinze um total de cento e vinte e sete mil quatrocentos e cinquenta e sete pessoas em relacionamentos foram alto de assassinato lesões corporais estupro assédio sexual ameaça e foque em perseguição oitenta e dois por cento mais de cento e quatro mil eram mulheres trezentas e trinta e uma mulheres foram mortas intencionalmente ou não intencionalmente pelos seus parceiros tudo isso em dois mil e quinze  os dados nesse mesmo relatório que tão no livre na transcrição do texto episódios esses ovos também mostram que na alemanha em todos os dias do ano de dois mil e dezessete um homem tentou matar a sua parceira ou caras eram alemães né caso achei nomofobia de você seja muito correndo pra culpar os estrangeiros imigrantes por esses outros em cento e quarenta e sete vezes esses caras conseguiram matar as suas parceiras dois parceiros isso significa que a violência de gênero e treinamento mata uma mulher a cada três dias na alemanha nunca vi o negócio é ainda mais tenso né nos primeiros três meses de dois mil e dizenovi cerca de duzentas mulheres já tinham sido mortas pelos seus parceiros ou parceiras de acordo com a organização mundial de saúde o brasil é o quinto país mais letal pra mulheres do mundo inteiro muito errada no jeito que a gente ama que em último caso acaba matando as mulheres a violência em relacionamentos ela é muito frequentemente motivada por sentimentos que a gente aprende que são ligado ao amor como ciúme controle competição a sensação de tá devendo algo praquela pessoa que você ama sacrifício você me ama cê vai fazer isso não você faz isso quer dizer que você não me ama etecétera todo mundo conhece bem no final o que acontece é que as nossas relações no módulo mais tradicional elas são recheadas de um uma busca incessante impossível e infinita pra provar essa coisa aqui aplicado que a gente chama de amor né eu vou comentar um pouco mais dentro de alguns episódios vocês podem olhar por enquanto a grade de planejamento de episódios no livre ou livre tá afim ou chama no face libre pra fim o ponto com e aí vocês vão encontrar mais sobre os episódios que tão planejado por agora eu queria ressaltar uma das muitas coisas que a gente experimenta e vive na nossa cidade como prova de amor que é a tal da fidelidade significando nesse caso exclusividade sexual é uma parte tão importante das nossas ruim sobre amor que as pessoas sentem que elas têm direito inclusive a matar umas as outras quando elas quebram esse contrato seja isso legal no país elas ou não né mata o outro por causa de e acontece que às vezes é legal sim muitos países europeus especialmente os que nunca foram socialistas ou comunistas só descriminalizar império ou seja quando essa cláusula de exclusividade sexual ela é quebrada dentro do casamento depois dum sessenta áustria foi um dos últimos só em mil novecentos e noventa e sete ainda pior porque a lei que criminaliza o adultério só foi validada legalmente oficialmente em dois mil e cinco unidos rotária ainda é um creme em dezenove sábado que é tipo metade do país quatro em muitos países também as leis elas iam punem não só ou as vezes só ontem mas também podem as pessoas que transitam com essas pessoas que são casadas e não só aqui foi infiel no casamento e que cometeu adultério esse era o caso da índia até surpresa até dois mil e dezoito ano passado tão o negócio é meio tenso e mesmo que o adultério ele não seja base legal pra punição né o não seja visto como crime em muitos países hoje ele ainda é visto mesmo nesses lugares vão dizer não é crime ele ainda disso como uma razão legítima pra uma pessoa agir violentamente seja contra a pessoa que traiu seja contra a pessoa com quem ela traiu inglês tem até essa expressão né e no caso do brasil a gente pode falar em a gente fala aí seu né na na língua corrente e inglês chama no caso do inglês ainda muito interessante cê pensar que é tipo é o é enganar né você você que num jogo você tipo os honesto pra chegar na frente e tal então ainda vou parece um pouco essa ideia da relação como um jogo né eh se você num tá resistindo a dureza e ao sacrifício de não de viver a sua sexualidade livremente você tá passeando né que seria talvez a melhor tradução pratiquem então é muito interessante né em fidelidade ela é vista como um problema moral e não com a parte de um sistema mas eu também vou falar mais disso em outro episódio o meu ponto agora é que a gente aprende desde que a gente nasce a gente aprende isso quando a gente aprende as categorias e básicas da nossa existência como família mãe pai e outras peraí e a mídia filmes jornais propaganda aí e por aí vai um monte de veículos essenciais de né de transmissão dessas visões letais sobre o amor que a gente tem na nossa cultura começando com shakes lá atrás e passando por muitos produtos culturais produções culturais os últimos centenas centenas de anos mas recentemente eh a série da netflix e o trouxe um pouco desse tema numa perspectiva um pouco mais interessante embora eu tenho minhas críticas eh nessa série o jargões né românticos eles eh tipicamente românticos eles ficam bastante obscuros a gente vê que era verdade um cara que é uma faxina violento sol queria ele é tudo aquilo em nome do amor então é meio tenso assim mas é apesar de ser uma eh um exagero numa caricatura também que tem um pouco de verdade como essa é toda essa esses dados que eu mencionei mostra as mulheres são mortas pelos seus pais meus parceiros mais frequentemente do que a gente gostaria de sentir e na maioria das vezes em nome da fidelidade do ciúme da paixão do amor então é bem complicado junto setenta no brasil as militantes feministas usavam né isso não é amor pra falar sobre violência doméstica eu vou falar um pouco mais disso amor e e abordar um pouco uma perspectiva crítica do amor num episódio mais pra frente por enquanto a gente pode ficar com essa pergunta não cabeça se a gente aprende que o amor dá direito pra gente sobre a sexualidade né inteira outra pessoa e portanto também ao corpo dessas outras pessoas né o dessa outra pessoa mas ao mesmo tempo impor o nosso controle sobre esse corpo não é amor então o que é amor esse amor existe esse amor puro ideal será que a gente não tava sei lá né de repente de uma forma de amor que não deixa amor é fogo que tá aqui a gente vê é ferida que dói não se sente momento descontente é dor que ele já tinha na cintura eu não querer mais que bem querer é solitário andar por entre a gente é nunca contentar se de contente é cuidar que se ganha é querer estar preso por vontade é servir atendente pintura é ter com quem mata lealdade mas como que eu já pode seu favor nos corações humanos amizade se tão contrário a si é o mesmo amor o poema de luiz camona crítica no século dezesseis mostra cinco uma peça do romeu julieta efim ideal de amor no futuro ocidental né eh o amor é fogo que tem que ver o amor enfim né o estágio que preso por vontade de servir a quem vence o vencedor não ter com quem nos mata lealdade então sacrifício a lealdade até a morte tá tudo ali do outro lado também fazendo um parênteses alguns eh pesquisadores eh colocam que então e a sensação como se entender o amor naquele período histórico na europa não era aqui as características do amor que eu escrevi um poema é faziam dele um sentimento buscado a ser desejado ou quero gostoso que as pessoas queriam sentir tal como hoje tem essa como hoje tem essa importância né mas naquela época é como se fosse uma coisa ideal né uma motivação nobre inalcançável para ser sonhada e tudo mais então inclusive a palavra nobre aqui tem a ver com a própria estrutura social daquela sociedade medieval né na época hoje em dia nessa discussão de lealdade verdade ela acabou se expandindo e muitas pessoas entendem lealdade fidelidade como um pouco mais do que essa questão da exclusividade como esse é um um episódio piloto claro eu não vou entrar muito nisso agora embora vocês estejam loucos pra ouvir e eu espero que vocês voltem assim nos próximos pra escutar eh uma semana até dezembro eu gostaria de de colocar ao mesmo tempo também já meio que anunciar que uma das principais ferramentas pra gente fazer essa criticar o amor e a o amor romântico e a manu é comparar o que a gente aprende sobre o amor né incluindo aquilo que a gente que a gente pode ter permissão pra sentir por causa do amor então se a gente não se incomoda que nossos amigos tem outro amigo por que que a gente sempre se incomoda se os nossos digamos pareceres românticos né tem outras parceiras e bom a gente querendo ou não uma questão central aqui e eu também vou explicar isso em outro pilote o feminismo desafiou historicamente muito muitas as noções mais pra gente sobre sexualidade gênero papéis familiares e outras questões ligadas a esse universo de debate hoje na revolução francesa né com o movimento anarquista no começo do século vinte os estados unidos a luz salomé na alemanha um pouco depois alexandra na união soviética essas são apenas algumas das autoras que ao longo dos próximos episódios eu vou comentar e analisar as vezes mas se sente movimento feminista comecei não exatamente fora dele né essa isso que eu chamo de comunidades não modernas também trouxeram essas questões né e começaram a enfim colocar essa crítica e abordar mia é de uma de um ponto de vista político oral num outro episódio eu vou explicar um pouco melhor do que eu porque que eu tô chamando de comunidade não as modernas eh o que que significa mas por enquanto mas dizer que eu tô falando de pessoas que vivem de amor ou enfim grupos do movimento essas comunidades elas desafio um né um dos um dos uma das regras mais básicas do nosso sistema amoroso por assim que a mia com minúsculo aqui que é essa regra não vita de que a gente só pode só é legítimo ter relações sexuais eh comprometidauma pessoa por vez esse é o motivo pelo qual não é um tema central desse podcast que começa com uma pergunta sobre violência né e começa com perguntas que eu mesmo fiz enquanto ou depois de perceber que vive esse tipo de violência né que a gente pode mais violência conjugal talvez também tem produtor interessante brasileira sobre vocês cantaram na universidade um professor eu não me lembro quem foi agora mas eu lembro lá da tinham alguma aula de fuzil na filosofia e perguntava assim a gente precisa de uma regra social pra parar pra impedir que as pessoas comam tijolo não não a gente não precisa de uma regra social dizendo pras pessoas ensinando a gente ensinar as pessoas a não comer tijolo eh o ponto desse professor era que eh a gente precisa criar uma regra social muitas estruturas sociais pra gente não fazer alguma coisa é porque aquilo é pelo menos num um pouco atraente pra gente algumas pessoas perguntam se os seres humanos são ou não são por natureza e esse é o tema do nosso próximo episódio daqui a duas semanas outros episódios que eu tô preparando pra vocês sentir todos bastante interessantes como uma breve história do sexo do casamento o amor olha amor e outras formas de economia capitalismo o reinado da família e não a vida não em cor de rosa e outros também eu também tô agora começando esse pode e na versão brasileira dele isso é especial da versão brasileira porque o público brasileiro é o melhor que ele não e na versão brasileira eu vou também tentar a cada duas semanas no intervalo entre um episódio e outro lê e fazer um comentário breve sobre casos reais de vivência não a vivência de relacionamentos não tradicionais que as pessoas me mandarem então você pode entrar no site que é livre tracinho fest ponto com no site tem um formulário e nesse formulário você pode mandar anonimamente o seu caso que você gostaria de comentar ou a sua pergunta e eu vou ler essa correspondência de leitores alguns comentários prático sobre realmente a prática de viver de uma maneira diferente o amor né então vamos você já podem entrar lá se estiverem ouvindo isso aguardo os comentários de vocês então daqui a uma semana eu volto comentando casos que vocês me mandarem e daqui a duas semanas eu volto com o episódio ou não somos animais espero que vocês tenham gostado desse primeiro encontro lulu e que vocês votem pra mais e já quer dizer que a gente tá falando compartilhem dividam convidem quanto mais melhor cês vocês em duas semanas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *