Presidente do Brasil realiza visita oficial a acusado de estupro e agressão

Manchetar é a gíria que no meio jornalístico significa escolher aquele trecho sucinto que dá destaque a um texto jornalístico, geralmente é uma composição entre título e subtítulo. Para os mais jovens: é uma espécie de clickbait da era analógica.

Pois bem, a maior parte dos veículos jornalísticos, talvez com o intuito de manter uma linha editorial mais sóbria ou por de fato suas redações não permitirem, não trarão em suas manchetes o que realmente aconteceu no dia 05/06/2019. Neste dia – na mesma semana em que lamentou o suicídio do autor de uma tentativa gravíssima de feminicídio, o presidente Jair Bolsonaro, pegou meia dúzia de veículos oficiais e partiu em direção a um hospital no qual um suspeito investigado pela polícia paulista por mais de um crime (num caso de repercussão mundial), realizava exames. Ou seja: o Presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro (PSL) realizou visita oficial a Neymar da Silva Santos Júnior (vulgo Neymar Jr), acusado de estupro, agressão e crimes virtuais. Isso sem falar no restante da ficha corrida do rapaz, que inclui investigações de crimes fiscais e sonegação.

Cortejo oficial de Bolsonaro em visita a Neymar

Cortejo oficial de Bolsonaro em visita a Neymar. Fonte: Sens Visú

A pergunta inicial óbvia: qual é o interesse de nosso mandatário nisso? Qual o interesse de uma comitiva paga com nosso dinheiro nesse sujeito? É algum caso que envolva segurança/soberania nacional ou coisa do tipo? Por seguro que não. Ambos os atos do presidente num espaço tão curto de tempo, deixam uma mensagem direta: o Brasil tem o único líder oficialmente e abertamente misógino de todo o mundo, carapuça esta que vêm nos vestindo muito bem dado os números alarmantes de violência por gênero e orientação sexual. Mas e o interesse nacional na visita?

Um palpite mais pragmático nos levaria a concluir que é próprio do estilo bolsonarista se agarrar com todas as forças a acontecimentos que desviem a atenção do insucesso e incompetência dessa administração em basicamente todos os setores. Ainda no pragmatismo: o uso do político do futebol, da CBF e da Seleção Brasileira é inegável e uma vitória na Copa América seria um bom respiro a um governo que navega em mar revolto, sem saber o que fazer com o barco afundando. Ainda que inócuo, posar ao lado de um jogador famoso com o agasalho breguérrimo da CBF, reforça a importância do futebol na vida política do país, seja como catalizador, seja como elemento alienante.

Bolsonaro Neymar Hospital

Diga-me com quem andas… Fonte: Twitter

Contudo, nada que é pragmático politicamente, se sobrepõe ao pragmatismo do Bolsonaro pessoa física, carregado de amargor e ódio a tudo e todos (mas sempre com aquele sorriso canastrão na cara). É aceitável afirmar que ele de fato se solidarizou com o outro machinho e quis demonstrar isso com toda a truculência que sabe que o cargo lhe oferece, intimidando assim não só a jovem agredida como todas as mulheres que passam por situações semelhantes. O resultado prático é que no futuro talvez teremos que manchetar: “agressões contra mulheres aumentam mas denúncias diminuem”, pois quem se sentirá segura para denunciar sabendo que o presidente da república poderá declarar, a qualquer instante, apoio ao agressor?

 

 

 


Diego Mesa Marquez é apresentador, podcaster, radialista sonoplasta e técnico de som e programação pelo Senac-SP. Técnico em Eletrônica digital e programação pelo Cruzeiro do Sul. Publicitário Técnico e Designer pelo Objetivo e graduado em Gestão de Comunicação pela Fatec-SP. Atualmente, é coordenador técnico da Rádio Sens, mas tenta dar pitacos sobre áudio, comunicação e semiótica na internet desde 1998.


Este conteúdo é de total responsabilidade de seu(s) autore(s), não representando portando as opiniões da Rádio Sens.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *